Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/451637
Título: Projeção anfíbia como modalidade de operações anfíbias: possibilidades e limitações: relacionadas à Doutrina Básica da Marinha e ao entorno estratégico brasileiro.
Orientador(es): Reis, Alexandre Ricciardi dos
Autor(es): Arruda, Francisco Andrade de
Palavras-chave: Guerra maritima
Operações militares
Operações navais
Operações navais e treinamento
T8 - ESTRATÉGIA, ESTRATÉGIA MARÍTIMA E ESTRATÉGIA NAVAL (DGPM-305)
Crises
Operações anfíbias
Operaçoes humanitarias
Data do documento: 2018
Descrição: A multiplicação da população litorânea, principalmente nos países mais pobres, potencializou o aumento de inúmeros problemas de ordem social,política e econômica e consequentemente levou ao crescimento do número de crises de menor envergadura o que tem representado uma séria ameaça à segurança e à estabilidade das relações internacionais. Nesse contexto, países como os Estados Unidos da América mudaram o foco de atuação do seu Poder Naval, privilegiando o emprego “a partir do mar”. Dentro dessa visão, surge a Projeção Anfíbia como forma de utilização do Poder Naval em projetar uma força anfíbia sobre um litoral de seu interesse. A Marinha do Brasil, por meio da sua doutrina, definiu a Projeção Anfíbia como uma modalidade de Operações Anfíbias, iniciando um debate quanto as possibilidades e limitações desse tipo de modalidade para o entorno estratégico Brasileiro, além da validação da mesma para o ambiente permissivo. Assim, o propósito deste trabalho é analisar os pontos relevantes do problema, e propor soluções, usando para isso a experiência das Marinha se dos Corpos de Fuzileiros Navais Estadunidense se Britânicos. Para isso, realizou-se uma pesquisa descritiva, apoiada em recursos bibliográficos e documentais, capazes de alavancar os argumentos e dar consistência às conclusões. Como apoio a pesquisa foram utilizadas as teorias da guerra limitada de Julian Corbett, a teoria das operações militares segundo os modelos de Booth e Grove, além do pensamento estratégico naval para o século XXI. Ao final da pesquisa, concluiu-se que há uma incompatibilidade entra a atual Doutrina Básica da Marinha e o conceito de emprego da Projeção Anfíbia, por não contemplar a utilização de uma Operação Anfíbia para o ambiente permissivo das Operações: de Paz, de Evacuação de Não Combatentes e de Ajuda Humanitária. Outra conclusão importante está relacionada ao entorno estratégico Brasileiro, estando a costa oeste Africana enquadrada nas três possibilidades de emprego estudadas.
URI: http://www.redebim.dphdm.mar.mil.br/vinculos/000011/000011d9.pdf
http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/451637
Aparece nas coleções:Operações Navais: Coleção de Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000011d9.pdf634,36 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.