Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/843539
Título: A influência britânica no Atlântico Sul: o caso das Ilhas Malvinas
Orientador(es): Flôr, Claudio Rogerio de Andrade
Autor(es): Carvalho, Rogério do Nascimento
Palavras-chave: T10 - GEOPOLÍTICA (DGPM-305)
Geopolítica Atlântico Sul
Geopolítica Reino Unido
Malvinas, Guerra das, 1982
Data do documento: 2017
Editor: Escola de Guerra Naval (EGN)
Descrição: Dissertação (mestrado) - Escola de Guerra Naval, Programa de Pós - Graduação em Estudos Marítimos (PPGEM), 2017.
O objetivo desta dissertação é o de realizar um estudo sobre a Geopolítica Britânica no Atlântico Sul com foco no arquipélago das Ilhas Malvinas. Através de pesquisa bibliográficae documental, confronta os motivos que levam o Reino Unido a permanecer com o território, ignorando constantes protestos diplomáticos da Argentina, que conclamam pela negociação e solução pacífica do litígio. Buscam-se no estudo das teorias exaradas em obras deMorgenthau (2003) e Mahan (1987) o substrato que auxilia a compreensão da política britânica no Atlântico Sul. A pertinência do trabalho é presente, pois busca fazer a correlação de documentos históricos e suas interpretações, perpassando pelo conflito das Malvinas de 1982 até a assunção da descoberta de riquezas de cunho econômico na área marítima que circunda as ilhas renova as intenções na contenda territorial. A estratégia ímpar que possui o Atlântico Sul, responsável por parte do comércio marítimo do globo, ganha ênfase por ligar os Oceanos Atlântico e Pacífico, bem como projetar poder sobre o território antártico, onde há a sobreposição de reivindicações territoriais dos países, cujo domínio do arquipélago auxiliará futuramente na projeção de negociações ao findar o Tratado Antártico. A evolução da disputaentre Argentina e Reino Unido traz ao Brasil a oportunidade de reflexão de seu papel no espaço sul-atlântico, bem como a necessidade de investimentos perenes em defesa e segurança.
Abstract: The objective of this dissertation is to carry out a study on British Geopolitics in the South Atlantic focusing on the archipelago of the Falkland Islands. Through bibliographical and documentary research, the confronts of reasons that lead the United Kingdom to remain with the territory, ignoring constant diplomatic protests of Argentina, that call for the negotiation and pacific solution of the litigation. The relevance of the work is present because it seeks to correlate historical documents and their interpretations. The work is pertinent in the study of theories in works by Morgenthau (2003) and Mahan (1987) , Passing through the conflict of the Falklands of 1982 until the assumption of the discovery of riches of economic character in themaritime area that surrounds the islands renews the intentions in the territorial contest. The unique strategy of the South Atlantic, which is responsible for part of the world's maritime trade, gains emphasis by linking the Atlantic and Pacific Oceans,as well as projecting power over the Antarctic territory, where there are overlapping territorial claims of countries whose archipelago will assist in the future of the negotiations at the end of the Antarctic Treaty. The evolution of the dispute between Argentina and the United Kingdom gives Brazil the opportunity to reflect on its role in the South Atlantic space, as well as the need for perennial investments in defense andsecurity.
URI: http://www.redebim.dphdm.mar.mil.br/vinculos/00001b/00001b46.pdf
http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/843539
Aparece nas coleções:Defesa Nacional: Coleção de Dissertações

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
00001b46.pdf1,35 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.