Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/844514
Título: Diplomacia Naval no Atlântico Sul: a contribuição da Marinha do Brasil para a Política Externa Brasileira
Orientador(es): Abreu, Guilherme Mattos de
Autor(es): Ferreira, Ricardo Jaques
Palavras-chave: Diplomacia naval
Atlântico Sul
Política externa - Brasil
Marinha do Brasil
Data do documento: Dez-2019
Editor: Rio de Janeiro, RJ: ESG
Descrição: O fim da Guerra Fria (1989) trouxe um novo modo de pensar e entender os conceitos de segurança e defesa. Passou a ser necessário ir além do pensamento estratégico vigente, marcado pela bipolaridade, tornando-se recomendável a elaboração de políticas e estratégias cooperativas. Neste novo cenário, criou-se uma vez mais o ambiente adequado para o emprego da diplomacia naval, onde o Poder Naval, em virtude de suas características intrínsecas de mobilidade, de permanência, de versatilidade e de flexibilidade, que, favorecidas pela liberdade de navegação e pelo apoio logístico fixo e móvel, pode atuar em apoio à política externa brasileira na garantia dos interesses do Estado. Neste trabalho, em particular, serão analisadas as ações da Marinha do Brasil relacionadas à diplomacia naval no Atlântico Sul, de onde são retirados cerca de 95% do petróleo, 80% do gás natural produzidos no País e por onde quase 95% de nosso Comércio Exterior é escoado. Tais fatores levaram ao estabelecimento do Atlântico Sul como entorno estratégico para o Brasil desde a Política de Defesa Nacional de 2005. Assim, considerando-se o caráter da integralidade do Poder Nacional, torna-se relevante para a segurança, defesa e desenvolvimento nacional, estudar as interações das expressões política (diplomatas) e militar (Marinha) em uma região tão relevante para o país.
Abstract: The end of the Cold War (1989) brought a new way of thinking about the concepts of security and defense. It was necessary to go beyond the current strategic thinking, characterized by bipolarity, making it advisable to develop cooperative policies and strategies. In this new scenario, the right environment was once again created for the use of naval diplomacy, where Naval Power, due to its intrinsic characteristics of mobility, permanence, versatility and flexibility, favored by freedom of navigation and trough logistical support, it can act in support of Brazilian foreign policy in guarantee of State interests. In this paper, in particular, the actions of the Brazilian Navy related to naval diplomacy will be analyzed in the South Atlantic, from which about 95% of the oil and 80% of the natural gas produced in the country are extracted and almost 95% of our international trade is carried by sea. These factors led to the establishment of the South Atlantic as a strategic environment for Brazil since the National Defense Policy of 2005. Thus, considering the character of the integrality of the National Power, it becomes relevant for security, defense and national development, to study the interactions of political (diplomats) and military (navy) expressions in a region so relevant to the country.
URI: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/844514
Aparece nas coleções:Defesa Nacional: Coleção de Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
RICARDO JAQUES FERREIRA.pdf1,7 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.