Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/844630
Título: Os diferentes projetos políticos de Portugal em relação ao Atlântico Sul
Orientador(es): Gonçalves, Williams da Silva
Autor(es): Ramos, Beatriz Victória Albuquerque da Silva
Palavras-chave: 18 - RELAÇÕES INTERNACIONAIS (DGPM-305)
Relações internacionais – Portugal
Navegação - Portugal
Tratados - Atlântico, Oceano
Data do documento: 2018
Editor: Escola de Guerra Naval - EGN
Descrição: Portugal é um país que foi outrora um império colonial. Ademais, tem forte ligação geográfica e histórica com o mar, principalmente com o Oceano Atlântico. Participa de organizações internacionais como Organização das Nações Unidas (ONU), Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), União Europeia (UE) e Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Hoje é considerado uma pequena potência. Levando em consideração a tentativa portuguesa de projetar poder no Atlântico Sul, objetiva-se analisar os diferentes projetos políticos de Portugal que vinculam Portugal à OTAN e ao projeto de defesa do Atlântico Sul, e analisar se tais projetos se complementam de alguma forma e/ou se um prevalece sobre o outro. Para tanto, procede-se à metodologia hipotético-dedutiva, com técnica de documentação indireta, que abarca a pesquisa documental e bibliográfica. Desse modo, observa-se que a participação de Portugal na OTAN trouxe e continua trazendo vantagens para o país, que passou a ser visto como um coprodutor de segurança internacional. Afirma-se que a OTAN pode atuar também no Atlântico Sul. Observa-se também que apesar do fim formal do império colonial português, ainda mantêm-se relações de dependência entre Portugal e suas ex-colônias, por mais que Portugal defenda cooperação no âmbito da CPLP. Conclui-se que, devido à sua condição de pequena potência, Portugal não pode tomar decisão definitiva em favor de um projeto político que signifique a exclusão de uma rede de alianças. Assim, mantém as duas em virtude do seu interesse em conquistar mais poder
Abstract: Portugal once was a colonial empire. It has a strong geographical and historical connection with the sea, mainly with the Atlantic Ocean. It is a member in international organizations such as the United Nations (UN), the North Atlantic Treaty Organization (NATO), the European Union (EU) and the Community of Portuguese Speaking Countries (CPLP). Nowadays it is considered a small power. Taking into account Portugal’s attempt to project power in the South Atlantic, this dissertation’s objective is to analyze the different Portuguese political projects that link Portugal to NATO and the South Atlantic defense project, and to analyze whether such political projects complement one another and/or if one prevails over the other. To do so, we proceed to the hypothetical-deductive methodology, using an indirect documentation technique, which encompasses documentary and bibliographic research. In this way, it can be observed that Portugal's participation in NATO has brought and continues to bring advantages to the country, which has come to be seen as a co-producer of international security. It is said that NATO can also act in the South Atlantic. It is also observed that despite the formal end of the Portuguese colonial empire, relations of dependence between Portugal and its former colonies are still maintained, even though Portugal advertises cooperation under CPLP’s scope. It is concluded that, due to its small power status, Portugal cannot make a final decision in favor of a political project that means the exclusion of a network of alliances
URI: http://repositorio.mar.mil.br/handle/ripcmb/844630
Aparece nas coleções:Defesa Nacional: Coleção de Dissertações

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Beatriz Victória Albuquerque da Silva Ramos.pdf8,32 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.